04 janeiro 2007

O ODOR DO SANGUE


O ODOR DO SANGUE

Um filme italiano, coisa que vai sendo muito raro ver a passar nas salas portuguesas. A fita do realizador Marto Martone conta com um excelente actor que eu já não via à muito, Michele Placido. Os mais velhinhos ainda se devem lembrar de O POLVO, uma fabulosa série dos anos 80 sobre um corajoso comissário da polícia que enceta uma luta feroz contra a máfia.
E como Mel Gibson, depois do excelente BRAVEHEART, só me tem desiludido acho que este é o primeiro grande filme deste ano.
Uma adaptação livre do romance “L’odore del sangue” de Goffredo Parise.
O filme conta a história sentimental de Carlo, dividido entre a sua mulher Silvia e a jovem Lu.
Carlo partilha um apartamento em Roma com Silvia no bairro fino de Parioli: não esconde nada da sua relação com Lu, que alberga na sua casa de campo, e aceita que Silvia possa ser cortejada por outros homens.
Quando se encontra no campo com Lu, Carlo tem como hábito falar longamente ao telefone com a sua mulher, e é no decurso de uma dessas conversas que descobrimos que um jovem rapaz procura seduzir Silvia.
A aparição desta quarta personagem marca o ponto de partida da história: a de uma obsessão, cujos longos diálogos investigarão o mistério de Silvia, levando progressivamente Carlo à verdade.
Silvia aparece cada vez mais prisioneira deste jovem amante misterioso e violento, e acaba por pedir a Carlo para não regressar ao seu apartamento em Roma. A partir desse momento, Carlo vai vaguear na cidade, que lhe aparece angustiante e sinistra, procurando em vão dar uma cara ao rapaz.
Transformado pela angústia, Carlo descarrega a sua violência contida em Lu.
Volta precipitadamente para Veneza porque Silvia lhe pede que vá ter com ela.
Em Veneza, Carlo apercebe-se que afinal a sua mulher está nas garras do seu amante torcionário, e que alimenta a necessidade de cometer um acto desesperado.
Deixa-a, mas quando regressa ao campo é por sua vez abandonado por Lu.

Realização: Mario Martone
Intérpretes: Michele Placido, Fanny Ardant, Giovanna Giuliani, Sergio Tramonti
França/Itália, 2004
Estreia: 4 de Dezembro de 2006

1 comentário:

Roberto Queiroz disse...

Estou passando para falar sobre o meu novo blog (http://claque-te.blogspot.com) onde eu escreverei
sobre filmes que chamaram minha atenção enquanto que o the cave ficará como um panorama global do
que está rolando na sétima arte ultimamente. Além disso, há textos meus de 15 em 15 dias no portal
Reação Cultural(http://reacaocultural.blgospot.com), uma revista virtual da qual participo.

Abraços do crítico da caverna.