28 novembro 2006

1 ANIVERSÁRIO DO CINEMA PARAÍSO

Olá pessoal, faz hoje exactamente um ano que este blog se estreou com um post sobre CITIZEN KANE de Orson Welles. Fui aos arquivos buscar os meus posts de Novembro e Dezembro do ano passado. Foi bom recordar ainda que tenha ficado um pouco chocado com alguma ortografia. O que está feito está feito e não vou mudar.

27 novembro 2006

THE NATIVITY STORY

Já ai está um filme para este natal. Estreia dia 7 de Dezembro.

26 novembro 2006

JAMES BOND, RECORDAÇÕES

Bond Girls com nomes estranhos:
Honey Ryder - Ursula Andress, DR. NO 1962
Pussy Galore - Honor Blackman, GOLDFINGER 1964
Solitaire - Jane Seymour, LIVE AND LET DIE 1973
Mary Goodnight - Britt Ekland, THE MAN WITH THE GOLDEN GUN 1974
Octopussy - Maud Adams, OCTOPUSSY 1983
Xenia Onatopp - Famke Janssen, GOLDENEYE 1995
Christmas Jones - Denise Richards THE WORLD IS NOT ENOUGH 1999

Vilões:
Goldinger - Gert Fröbe, GOLDFINGER 1964
Emilio Largo - Adolfo Celi, THUNDERBALL 1965
Blofeld - Donald Pleasence, YOU ONLY LIVE TWICE 1967 Scaramanga - Christopher Lee - THE MAN WITH THE GOLDEN GUN 1974
Max Zorin - Christopher Walken, A VIEW TO A KILL 1985
Alec Trevelyan - Sean Bean, GOLDENEYE 1995
Elektra King - Sophie Marceau, THE WORLD IS NOT ENOUGH 1999


Personagens habituais:
M - Bernard Lee, 1962-1979, FOR YOUR EYES ONLY é o único filme onde esta personagem não aparece.
M- Robert Brown 1983-1989, Judi Dench 1995-2006
Moneypenny - Lois Maxwell 1962-1985, Caroline Bliss 1987 e 1989, Samantha Bond 1995-2002
Q- Desmond Llewelyn 1962-1999, John Cleese DIE ANOTHER DAY 2002
Blofeld- Vilão que aparece em város filmes, interpretado por vários actores.
Félix Leiter- Agente da CIA, amigo de Bond, interpretado por vários actores.
Gen. Gogol- Walter Gotell 1977-1987
Sheriff J.W. Pepper- Clifton James, uma das personagens mais hilariantes dos filmes de Bond, aparece em LIVE AND LET DIE 1973 e THE MAN WITH THE GOLDEN GUN 1974


ON HER MAGESTY SERVICE, 1969 o Bond mais original, o filme que tem o melhor argumento, infelizmente é também o pior filme da série, as cenas de acção são péssimas, o australiano George Lazenby não chegou a convencer e obrigou ao regresso "forçado" de Connery para mais um filme. É o episódio em que Bond se casa e é também o único com cenas rodadas em
Portugal.
James Bond:
Sean Connery- 1962 a 1967 e 1971, 6 filmes
George Lazenby- 1969

Roger Moore- 1973 a 1985, 7 filmes
Timothy Dalton - 1987 a 1989, 2 filmes
Pierce Brosnan- 1995 a 2002, 4 filmes
Daniel Graig - 2006, 1 filme

Melhores canções:Goldfinguer - Sherley Bassey, GOLDFINGER 1964
You Only Live Twice - Nancy Sinatra, YOU ONLY LIVE TWICE 1967
We Have Only One thing in The World, Louis Armstrong, ON HER MAGESTY SERVICE 1969
Diamonds are Forever- Shirley Bassey, DIAMONDS ARE FOREVER 1971
Live and Let Die- Paul McCartney LIVE AND LET DIE 1973
Moonraker- Shirley Bassey, MOONRAKER 1979
For Your Eyes Only- Sheena Easton, FOR YOUR EYES ONLY 1981
A View to a Kill- Duran Duran, A VIEW TO A KILL 1985
The Living Daylights- A-Ha, THE LIVING DAYLIGHTS 1987
Goldeneye- Tina Turner, GOLDENEYE 1995
The World is Not Enough- Garbage, THE WORLD IS NOT ENOUGH 1999
Die Another Day- Madonna, DIE ANOTHER DAY 2002

















CASINO ROYALE

CASINO ROYALE

Faltava a mais mediática estreia da semana, ai está Mr. Bond, James Bond.
Finalmente chega ao cinema (ok, esqueçamos a paródia de 1967) o primeiro capítulo da saga James Bond, da autoria de Ian Fleming. Para começar que fique bem claro que sou um grande fã da série. James Bond vem do meu imaginário juvenil, ainda me lembro de Roger Moore perseguindo Grace Jones pelas ruas de Paris, ao som de "A View to a Kill" dos Duran Duran.

Em CASINO ROYALE, Bond ganha a sua licença "00" e a sua primeira missão, deter um perigoso banqueiro Le Chiffre,líder de uma organização terrorista. Para isso Bond terá que em frentar o vilão num jogo de póker sem limites de apostas no Casino Royale. A acompanhálo vai a bela Vesper Lynd (Eva Green), uma agente do tesouro que vai ter que olhar pelo dinheiro emprestado a Bond para a sua missão.
Para este novo filme de Bond perdem-se alguns dos velhos clichés, que deram fama à série como o genérico com figuras femininas dançando ao som do tema do filme. Quem também desaparece são duas personagens emblemáticas, mas um pouco figurativas como a Miss Moneypenny que foi interpretada durante tantos anos por Lois Maxwell. Também desaparece "Q", o inventor dos célebres gadgets do agente secreto, o que é uma pena pois perde-se a oportunidade de rever o Monty Python John Cleese. A própria frase; "My name is Bond, James Bond", presente em 19 dos 21 filmes da série, foi muito bem gerida pelo realizador Martin Campbell que sabia que Graig estava debaixo de fogo dos fãs. E assim temos um novo, velho James Bond com um novo actor, Daniel Graig. O actor ingles foi victima dos mais ferozes ataques por parte dos fãs da série mas, após, Casino Royale, parece que começa a convencer. Entre as "Bond girls" este filme pode ser uma desilusão pois não aparece uma Ursula Andress ou uma Halle Berry em bikini emirgindo das águas, ao invés aparece um Daniel Graig, horrívelmente musculado, emergindo das águas, realmente a tradição já não é o que era.

Realização: Martin Campbell
Intérpretes: Daniel Craig, Eva Green, Mads Mikkelsen, Judi Dench, Jeffrey Wright, Giancarlo Giannini
EUA/Rep.Checa/R.Unido/Alemanha, 2006
ESTREIA: 23 de Novembro de 2006

25 novembro 2006

JUVENTUDE EM MARCHA

JUVENTUDE EM MARCHA

Depois de ter deslumbrado na edição de Cannes deste ano, eis que chega o novo filme de Pedro Costa às salas portuguesas. Neste filme, o realizador português regressa ao Bairro das Fontaínhas onde rodou os filmes OSSOS e NO QUARTO DE VANDA.

JUVENTUDE EM MARCHA" é um olhar sobre as transformações radicais que as comunidades destes bairros "degradados" estão actualmente a sofrer e adopta o ponto de vista de Ventura, um imigrante caboverdiano, operário da construção civil, reformado, que assiste aos últimos dias da sua "cidade de barracas" e às profundas mudanças de comportamento e relação que o realojamento num outro bairro dito "social" vem estabelecer.
O princípio de uma nova vida mais digna, legal e salubre mas também o fim de uma certa ideia de vivência e solidariedade inventada num quotidiano precário.

Realização: Pedro Costa
Com: Ventura, Vanda Duarte, António Semedo, Alberto Barros, entre outros habitantes do Bairro das Fontaínhas

Portugal, 2006

ESTREIA: 23 de novembro de 2006

OBRIGADO POR FUMAR

OBRIGADO POR FUMAR

Conheça Nick Naylor. Só um homem bom pode ser assim tão mau...

Como porta-voz da empresa Big Tobacco, Nick Naylor (Aaron Eckhart) foi chamado de muita coisa: assassino de massas, assassino de crianças, sanguessuga, explorador e até Yuppie Mefistófeles.
É um trabalho duro defender os direitos dos fumadores e dos produtores de cigarros na cultura neo-puritana de hoje.
Mas, como diz o próprio Nick, se ele quisesse um trabalho fácil teria ido trabalhar para a Cruz Vermelha.
Confrontado pelos extremistas da saúde empenhados em banir o tabaco e por um senador oportunista (William H. Macy) que quer colocar rótulos de veneno nos maços de cigarros, Nick lança-se numa ofensiva acção de relações públicas, circundando o perigo dos cigarros em talk shows e recrutando um super-agente de Hollywood (Rob Lowe) para que seja promovido o tabaco no cinema.
A recém-notoriedade de Nick atrai a atenção do manda-chuva do tabaco (Robert Duvall) e de uma jornalista de investigação de um jornal diário influente de Washington (Katie Holmes). Nick diz estar a fazer este trabalho apenas para pagar a sua hipoteca, mas começa a preocupar-se com a imagem que pode estar a construir aos olhos do seu jovem filho, Joey (Cameron Bright).
Baseado no aclamado romance de Christopher Buckley, “Thank you for smoking” conta ainda com as participações de Maria Bello, Adam Brody, Sam Elliott, David Koechner e JK Simmons.

Realização: Jason Reitman
Intérpretes: Aaron Eckhart, William H. Macy, Rob Lowe, Robert Duvall, Katie Holmes, Cameron Bright, Maria Bello, Adam Brody, Sam Elliott, David Koechner, JK Simmons
EUA, 2005
ESTREIA: 23 de Novembro de 2006

24 novembro 2006

ESTREIAS DA SEMANA


GRBAVICA: A FILHA DA GUERRA

«Uma história sobre o amor»
Festival de Berlim 2006 - Urso de Ouro, Prémio da Paz e Prémio do Júri Ecuménico
Mãe sozinha, Esma (Mirjana Karanovic) vive com a filha de doze anos, Sara (Luna Mijovic), no bairro de Grbavica, em Sarajevo, onde a vida ainda está a ser reconstruída, após a guerra da Jugoslávia, nos anos 90. Incapaz de sobreviver com a pobre ajuda governamental que recebe, Esma aceita um emprego como empregada de bar num clube nocturno, o que a força a passar menos tempo com a filha.
Ainda atormentada com episódios violentos do seu passado, Esma participa em sessões de terapia de grupo, num centro feminino local. Além de confiar totalmente na sua melhor amiga, Sabina, Esma encontra uma alma gémea em Pelda, uma colega do bar.
Entretanto, Sara começa a trocar o futebol por uma amizade mais chegada com um colega de turma, Samir. Os dois jovens e sensíveis adolescentes sentem um laço muito forte entre si porque ambos perderam o pai na guerra. Mas Samir fica surpreendido ao saber que Sara desconhece os pormenores sobre a nobre morte do pai.
O pai de Sara começa a ser um assunto sério quando ela pede a certidão de que ele morrera como um mártir de guerra, para poder beneficiar de um desconto numa viagem da escola. Mas a mãe diz-lhe que é difícil conseguir o papel, porque o corpo do pai nunca foi encontrado, tentando por outros meios conseguir dinheiro para pagar a viagem da filha.
Sara começa a ficar violentamente preocupada quando alguns colegas gozam com ela por não pertencer à lista dos filhos de mártires. Percebendo que fora a mãe a pagar a viagem, Sara exige saber a verdade.
Apesar da violência da revelação, fica ainda a abertura para uma nova e saudável relação entre mãe e filha.

Realização: Jasmila Zbanic
Intérpretes: Mirjana Karanovic, Luna Mijovic, Leon Lucev, Kenan Catic, Jasna Beri
Croácia/Alemanha/Áustria/Bósnia, 2006

Desvendar um crime, poderá ser também um assassinato …
“Ele apenas me beijou na face, e disse, “Adios, Amigo”. - Truman Capote relembrando o criminoso condenado Perry Smith na hora da execução.
De novo, Capote...
Em 16 Novembro de 1959, ao ler uma noticia no jornal The New York Times sobre o brutal assassinato de uma família, o afamado escritor Truman Capote resolve viajar até à cidade de Kansas para uma investigação cuidadosa sobre o crime, fazendo disso o tema do seu próximo livro “A Sangue Frio”.
A sua inteligência e destreza são postas à prova perante um impenetrável mistério, e Capote acabará por pagar um preço devastador na sua busca pela verdade...
“Infame”, é um inteligente estudo sobre a complexa e tortuosa relação entre o escritor Truman Capote e o criminoso Perry Smith, laços que se formaram na cela da prisão e que levaram à destruição tanto da carreira como da alma de Capote.
Realização: Douglas McGrath
Intérpretes: Sandra Bullock, Gwyneth Paltrow, Sigourney Weaver, Toby Jones, Daniel Craig, Isabella Rosselini, Hope Davis, Jeff Daniels
EUA, 2006
Ele é um provocador jovem rebelde que cresceu no lado errado das ruas de Baltimore. Ela é uma privilegiada bailarina de uma escola de artes de elite.
Os dois mundos não podiam ser mais diferentes, mas, quando os seus destinos se cruzam, é despoletado um fabuloso conto de fadas num universo hip-hop, sobre a tentativa única na vida de tornar realidade um sonho improvável.
Apresentando um excitante elenco de estreantes multi-facetados e talentosos, "STEP UP" é uma enérgica história de transcendência conduzida ao ritmo da música e dança.
Tyler Gage (Channing Tatum) viveu toda a sua vida nas duras ruas da cidade e sabe que a probabilidade de alguma vez de lá sair é reduzida. No entanto, quando um atrito com a polícia leva Tyler a prestar serviço comunitário na Escola de Artes de Maryland, tudo muda.
É então que conhece Nora (Jenna Dewan), a primeira bailarina da escola, uma sedutora diva que procura desesperadamente alguém que substitua o seu antigo parceiro.
Com tudo em jogo, Tyler terá uma única performance para provar a Nora, e a si próprio, que consegue dar o salto para uma vida bem mais promissora do que alguma vez imaginara.
Realização: Anne Fletcher
Intérpretes: Channing Tatum, Jenna Dewan, Damaine Radcliff, Rachel Griffiths
EUA, 2006
Estreias: 23 de Novembro de 2006

O ADEUS A PHILIPPE NOIRET

Philippe Noiret, 1 de Outubro 1930 - 23 de Novembro de 2006

Depois de Altman mais uma grande figura do cinema que nos deixou.
Foi um dos mais populares actores franceses, deixou-nos alguns momentos inesquecíveis: ZAZIE NO METRO, Louis Malle 1960, QUE LA FÊTE COMMENCE, Bertrand Tavernier 1975 ou o completamente louco LA GRAND BOUFFE, Marco Ferreri 1973. Mas foram apenas dois papeis, já numa fase tardia da sua carreira, que encantaram todo o mundo cinéfilo: O de um velho projecionista em CINEMA PARAÍSO de Giuseppe Tornatore 1988 e o de Pablo Neruda em O CARTEIRO DE PABLO NERUDA de Michael Radford 1994.

22 novembro 2006

ROBERT ALTMAN 1925-2006

GOSFORD PARK, 2001
Será que a culpa foi do mordomo?
Com: Maggie Smith, Michael Gambon, Kristin Scott Thomas, Camilla Rutherford e Charles Dance.

SHORT CUTS, 1993
Tom Waits e Lily Tomlin num dos melhores "casts" de sempre.
Com: Andie MacDowell, Jack Lemmon, Julianne Moore, Anne Archer, Fred Ward, Jennifer Jason Leigh, Madeleine Stowe e muitos outros.

THE PLAYER, 1992
Palavras para quê? Altman e Robbins põem Hollywood a nú.
Com outro grand cast: Tim Robbins, Greta Scacchi, Fred Ward, Whoopi Goldberg, Brion James, Vincent D'Onofrio, Dean Stockwell e Sidney Pollack.
NASHVILLE, 1975
Vidas cruzadas e uma campanha presidencial com a cidade do country como pano de fundo.
Com: David Arkin, Barbara Baxley, Ned Beatty, Karen Black, Geraldine Chaplin, Shelley Duvall, Scott Glenn, e Jeff Goldblum
MASH, 1970
Humor em tempo de guerra.
Com: Donald Sutherland, Robert Duvall, Elliott Gould, Tom Skerritt e Sally Kellerman.

21 novembro 2006

O ADEUS A ROBERT ALTMAN

ROBERT ALTMAN 20 de Fevereiro de 1925, 20 de Novembro 2006.

"Um Longo Adeus" ao realizador de SHORT CUTS no ano em que recebeu o Prémio Honorário da Academia pela sua carreira no cinema.

20 novembro 2006

NOITES DA 2

Atenção a todos os cinéfilos; as Noites da Dois
vão passar quatro grandes documentários sobre quatro grandes figuras do cinema. Este ciclo começa já amanhã e dura até sexta-feira e tem apenas um único senão a hora tardia a que começam os documentários.
O ciclo começa então na terça-feira com: "Robert Mitchum- Um Poeta com um Machado". Robert Charles Durman Mitchum nasceu a 6 de Agosto de 1917 e morreu a 1 de Julho de 1997. Fez desenho, foi poeta e ficou conhecido como actor numa longa carreira que se extendeu ao longo de cinco décadas. O seu olhar cativante, misterioso e um pouco insolente, garantiu-lhe a fama entre o público feminino. foi esse mesmo olhar que o tornou mestre no "film noir" em filmes como o magnífico O ARREPENDIDO 1947 do realizador Jacques Tourneur, onde o actor brilha ao lado de Kirk Douglas, Jane Greer e Rhonda Fleming. participou também em outros clássicos do género como ANGEL FACE: VIDAS INQUIETAS 1953 e MACAU 1952 de Sternberg.

Quarta-feira é o dia de "John Ford, Uma Visão Americana". Narrado por Peter Graves este documentário inclui excertos de obras como: AS VINHAS DA IRA 1940, O MEU VALE ERA VERDE 1941, O HOMEM TRANQUILO 1952, THE MAN WHO SHOT LIBERTY VALANCE 1962. Uma Visão Americana inclui também fotografias pessoais inéditas de Ford em algumas situações da sua vida e entrevistas com membros da família, amigos e colegas que revelam o homem por detrás das câmeras.
John Ford (1894-1973) começou a sua carreira no cinema mudo ainda sob o nome de Jack Ford e viria a tornar-se célebre pelos seus westerns. Foi assim que este irlandês defeniu a sua visão americana, através de actores como John Waine, James Stewart ou Henry Fonda

Na quinta-feira o documentário é dedicado a Al Pacino. É um dos mais emblemáticos dos actores de Hollywood, adepto da escola do método, entrou para a história da sétima arte com a trilogia de O PADRINHO ou com filmes como SERPICO 1973, AND JUSTICE FOR ALL 1979, SCARFACE 1983, PERFUME DE MULHER 1992, o filme que lhe rendeu o único Oscar da sua carreira.
Al Pacino na Intimidade é um documentário com imagens dos filmes do actor e depoimentos de alguns dos colegas que com ele privaram ou contracenaram.

Na sexta-feira é a vez de Peter O'Toole, o inesquecível LAURENCE DA ARÁBIA do filme de David Lean. O documentário é narrado pelo actor Peter Graves e contém depoimentos de gente como o ex-Bond Timothy Dalton, Jodie Foster ou Eli Wallach.
O actor nasceu na Irlanda em 1932 e iniciou a sua carreira de actor em 1956 mais foi na década de sessenta que viria a atingir a imortalidade com obras como: LAURENCE DA ARÁBIA 1962, LORD JIM 1965, O LEÃO NO INVERNO 1968 e GOODBYE MR CHIPS DE 1969. O' Toole sete vezes nomeado para os Oscares e ganhou o Prémio Honorário da Academia em 2003.

18 novembro 2006

ESTRADA PERDIDA

LOST HIGHWAY - ESTRADA PERDIDA
DVD
Hoje aconselho um filme do mestre David Lynch. ESTRADA PERDIDA é um dos filmes mais estranhos e sombrios da filmografia de Lynch, é daqueles filmes que temos que ver várias vezes para conseguir perceber alguma coisa, mesmo assim às vezes continuamos perdidos, Lynch é assim mesmo, desconcertante.
Fred Madison (Bill Pullman), um saxofonista, recebe, na sua casa em Los Angeles, uma estranha mensagem: "Dick Laurent morreu", diz-lhe alguém ao intercomunicador. Paranóico, desconfia que a mulher, Renee (Patricia Arquette), lhe é infiel e mantém com ela uma relação tensa. Um dia, começam a encontrar misteriosas cassetes de vídeo à porta de casa que, inexplicavelmente, exibem imagens do interior do apartamento e do casal a dormir. A última delas, que Fred vê sozinho, mostra-o a assassinar, de modo particularmente violento, Renee.

O (suposto) assassino é condenado à morte e enviado para a prisão. A partir daí, as coisas complicam-se ainda mais: na manhã seguinte, os guardas descobrem, horrorizados, que já não é Fred quem está na cela, mas sim Pete Dayton (Balthazar Getty), um jovem mecânico que não parece ter qualquer ideia de como foi ali parar.

Libertado, Pete regressa ao emprego. Aí, reencontra um dos clientes habituais, o "gangster" Mr. Eddie (Robert Loggia), e envolve-se com a namorada deste, Alice (novamente Patricia Arquette), uma loira platinada que é a imagem exacta da morena (e morta) Renee...

De realçar nesta obra, além do grande elenco, a magnífica banda sonora com o inevitável Angelo Badalamenti, Trent Reznor e os NIN, Smashing Pumpkins, Lou Reed, Marilyn Manson (que também aparece no filme), Rammstein, o grande David Bowie e Tom Jobim.

Realizador: David Lynch
Intérpretes: Bill Pulman, Patricia Arquette, Balthazar Getty, Richard Pryor, Robert Loggia e os músicos Henry Rollins e Marilyn Manson em dois pequenos "cameos".
EUA, frança 1997

16 novembro 2006

ESTRANHOS

ESTRANHOS
Para mim o grande filme da semana é este ESTRANHOS do realizador Simon Brand, não sei porquê mas ao ler a sinopse o nome de Tarantino veio-me à cabeça.
Depois de um violento tumulto num remoto armazém, um barril de gás tóxico rebenta e espalha-se no ambiente.
O químico “Chlorobenzylide” mesmo em pequenas doses poderá enevoar temporariamente a memória de quem o inalar. Em grandes doses causa entorpecimento, inconsciência e perda de memória total.
Neste caso, cinco homens acordam e vêem-se completamente sem memória.
É claro, que algo de traumático lhes aconteceu: um encontra-se amarrado a um poste, outro tem a cara esmurrada, um outro está algemado a um cano, e os dois últimos estão visivelmente perturbados.
Nenhum deles se lembra quem é nem o porquê de estar ali fechado.
Enquanto, a pouco e pouco, eles tentam reunir o puzzle do que terá acontecido nas últimas horas, os conflitos e desafios começam.
Como vais saber em quem confiar, se não sabes sequer quem és?
Mas saber é poder, nesta situação de vida ou morte, e eles são forçados a descobrir quem é bom e quem é mau para se manterem vivos.

Realização: Simon Brand
Com: James Caviezel, Greg Kinnear
EUA, 2006

Estreia: 16 de novembro 2006

BRICK

Um dos grandes filmes do cinema independente americano do ano, premiado em Sundance, estreia hoje nas salas portuguesas. Brendan Frye (Joseph Gordon-Levitt) é um estudante cuja inteligência acutilante não poupa ninguém.
Brendan não receia fundamentar as suas palavras com acções e conhece bem os diversos ângulos, no entanto prefere manter-se à margem e assim o faz até ao dia em que a sua ex-namorada, Emily (Emilie de Ravin), de forma absolutamente inesperada, o contacta e depois desaparece.
Os sentimentos de Brendan por ela são ainda profundos, de tal forma que ele fica obcecado por a encontrar...

Realização: Rian Johnson
Intérpretes: Joseph Gordon-Levitt, Emilie de Ravin, Nora Zehetner, Lukas Haas
EUA, 2006

Estreia: 16 de Novembro de 2006

15 novembro 2006

A CIÊNCIA DOS SONHOS

A CIÊNCIA DOS SONHOS

FECHE OS OLHOS. ABRA O CORAÇÃO!
A vida parece melhorar para o envergonhado e distante Stephane (Gael García Bernal) quando este é convencido, pela mãe que lhe promete trabalho, a voltar à sua casa de infância em França.Bastante criativo, a sua fantasiosa e por vezes perturbada vida "de sonhos" ameaça constantemente o seu mundo quando acordado.
Porém, a sua vida pode mudar quando conhece a nova vizinha, Stephanie (Charlotte Gainsbourg) e a sua amiga, Zoe (Emma de Caunes).
Inicialmente atraído por Zoe, ele rapidamente se deixa levar por Stephanie cuja imaginação facilmente se combina com a dele. Quase inexplicavelmente levada pelo seu charme, ela de alguma forma encontra a chave do frágil coração de artista de Stephane.
Entretanto, à medida que o seu relacionamento se desenvolve, a vida “de sonhos” começa a sobrepor-se à sua vida real e Stephane enfrenta um dilema que poderá não ser capaz de resolver, mesmo com a ajuda da sua “ciência dos sonhos”...
Realização: Michel Gondry
Intérpretes: Gael García Bernal, Charlotte Gainsbourg, Emma de Caunes,Alain Chabat, Miou-Miou
França, 2006

Estreia: 16 de Outubro de 2006

ESTREIAS DA SEMANA

CORRIGINDO BEETHOVEN
A poucos dias da estreia da Nona Sinfonia, Beethoven (Ed Harris) precisa de ajuda para transcrever as partituras. Apesar de alertada para o difícil feitio do compositor, a jovem Anna Holz (Diane Kruger), estudante de música no Conservatório de Viena, acede prontamente a ajudá-lo.
Ávida por aprender, Anna é confrontada com um Beethoven louco e intempestivo. Mas, à medida que o trabalho os obriga a conviver, uma intensa relação artística e emocional estabelece-se entre os dois.
Realização: Agnieszka Holland
Intérpretes: Ed Harris, Diane Kruger, Matthew Goode, Nicholas Jones, Ralph Riach, Phyllida Law.
EUA/Alemanha, 2006
UM ANO ESPECIAL

Depois de GLADIADOR o reencontro de Ridley Scott com Russel Crowe.
Max Skinner, um perito em investimentos na Bolsa de Valores de Londres, herda subitamente, por morte do seu tio, uma rústica propriedade com vinhas, situada em França, mais propriamente no coração da Provença.
De início, ele quer vender a casa e o terreno o mais depressa possível.
Contudo, logo que chega a esse encantador retiro, a suas memórias de infância passadas com o seu tio avivam-se e Max começa gradualmente a sentir-se atraído por tudo o que o rodeia, assim como por uma intrigante mulher que conhece ocasionalmente.
A sua maneira de olhar a vida altera-se, à medida da sua integração no meio ambiente, ao mesmo tempo que é surpreendido pelo aparecimento de uma bela jovem, proveniente da Califórnia, que reclama a sua parte na herança…

Realização: Ridley Scott
Intérpretes: Russel Crowe, Albert Finney, Freddie Highmore, Marion Cotillard
EUA, 2006

FAUTEUILS D'ORCHESTRE - O LUGAR IDEAL

Depois da antestreia no Festival de Cinema Francês eis finalmente a estreia oficial de FAUTEUILS D'ORCHESTRE
Jessica é uma jovem que chega a Paris em busca de sucesso consegue emprego no Bar des Théâtres. Jean-François, um prodígio do piano que prepara um recital de Beethoven para o dia 17. Catherine, uma famosa actriz de televisão que aguarda ansiosamente pela sua estreia em cinema que será no dia 17. Por fim Jacques, um coleccionador de arte que precisamente no dia 17 vai vender a sua preciosa colecção. Todos eles se encontram naquele bar enquanto Jessica bai sonhando com o momento em que a sua hora chegará.

Realização: Danièle Thompson
Intérpretes: Cécile de France, Valérie Lemercier, Albert Dupontel, Laura Morante, Claude Brasseur, Christopher Thompson
França 2006

VIÚVA RICA SOLTEIRA NÃO FICA

Em finais do século XIX, Ana Catarina, uma jovem aristocrata, regressa a Portugal, onde a sua mão fora prometida por seu pai, D. António. Mas, meses depois, D. Ana Catarina perde o marido e o pai, herdando assim o solar de Silgueiros e mais algumas centenas de terras vitícolas. Herdeira rica, não faltam pretendentes a D. Ana Catarina: o Conde de Fallorca, o Capitão Malaparte e Williamson, o inglês. Dividida entre o património e o verdadeiro amor, D. Ana Catarina casa e enviuva vezes sem conta, enquanto o seu destino é cuidadosamente ardilado por uma maquiavélica ama e um abade que se preocupa mais com bens terrenos que com os desígnios de Deus.

Realização: José Fonseca e Costa
Intérpretes: Bianca Byington, Cucha Carvalheiro, José Raposo, Diogo Dória, Rogério Samora e Victor Espadinha
Portugal, 2006
16 BLOCKS

Bruce Willis (Jack Mosley) é um detective pouco convencional com fama de bêbedo inveterado que tem que entregar sã e salva a testemunha fundamental do julgamento de um caso de corrupção policial.
A única forma de garantir o cumprimento do seu dever é assegurar a sobrevivência da testemunha (Mos Def) enfrentando a distância que os separa do Tribunal, são 16 quarteirões em 118 minutos.
Implacavelmente perseguidos, a tudo recorrem em desesperadas e arriscadas tentativas para vencer o que se afigura inevitável: a morte dos dois. O argumento não parece trazer nada de original, ainda assim uma boa fita de acção dirigida por um mestre do género; Richard Donner.

Realização: Richard Donner
Intérpretes: Bruce Willis, Mos Def, David Morse, Jenna Stern
EUA, 2006
MASSACRE NO TEXAS: O INÍCIO

THE TEXAS CHAINSAW MASSACRE
(Tobe Hoper, 1974) é um dos grandes clássicos do cinema de terror. Como qualquer bom filme de terror teve as inevitáveis mas dispensáveis sequelas. Este, no entanto, não é uma sequela é uma prequela e embora não se compare com o original dá para passar um bom bocado com muito, muito medo...
Durante mais de três décadas, a lenda de Massacre no Texas tem sido uma das histórias mais perenes e terríveis e serem levadas à tela. Desde que o primeiro filme estreou, em 1974, que os fãs discutem as origens da história. Agora, pela primeira vez, os espectadores vão conhecer em detalhe as origens do clã Hewitt e da sua psicótica ideia do que é o entretenimento em família, e muito em especial Leatherface, talvez o maior ícone do cinema de terror de todos os tempos.
Estamos em 1969. O conflito no Vietname está no seu auge. A contagem de mortos nos Estados Unidos é catastrófica. Para Dean Hill (Taylor Hendley), chegou a hora. Mas antes de se alistar, o irmão Eric (Matt Bomer), que acabou de chegar do Vietname, decide fazer-lhe uma surpresa. Apesar da reacção negativa da namorada, Chrissie (Jordana Brewster), Eric decidiu alistar-se outra vez. Mas o plano de Dean é diferente: apoiado pela determinada namorada, Bailey (Diora Baird), tem a intenção de fugir para o México. Antes, no entanto, os dois rapazes e as respectivas namoradas decidem viajar pelo interior do Texas, para uma última aventura.
Pouco depois do seu passeio começar, são perseguidos por um ameaçador casal de ciclistas. Pondo-se em fuga, o seu jipe tem um acidente e Chrissie é projectada para fora do veículo. Quando chega ao local o Xerife Hoyt (R. Lee Ermey), Chrissie vê-o ao longe a ordenar aos seus amigos para entrar na parte de trás do carro-patrulha. Sem que Chrissie o possa saber, o destino é a casa da família Hewitt, onde o sobrinho do xerife, Thomas (Andrew Bryniarski), se prepara para se tornar o terrível monstro conhecido como Leatherface...
A New Line Cinema, em associação com Michael Bay, apresenta "Massacre no Texas: O Início", a assustadora história de uma família abandonada numa moribunda localidade rural, sem esperanças nem nada a perder, e cujo excêntrico comportamento se transforma num cruel e sádico ritual.

Realização: Jonathan Liebesman
Intérpretes: Jordana Brewster, Taylor Handley, Diora Baird, Matt Bomer, Lee Tergesen, Cyia Batten, R. Lee Erm
EUA, 2006

Estreias: 16 de Novembro de 2006

14 novembro 2006

13 novembro 2006

COMO O CINEMA ERA BELO

THE SEARCHERS-A DESAPARECIDA, John Ford 1956


Entre 1973 e 1990 a Fundação Calouste Gulbenkian dedicava-se também à divulgação de alguns dos filmes que marcaram as nossas vidas. No âmbito da comemoração dos 50 anos da fundação as sessões de cinema regressaram à Avenida de Berna. João Bénard da Costa escolheu 50 filmes dos arquivos da Cinemateca que serão exibidos ao longo dos próximos meses.

Mais informações aqui: GULBENKIAN

11 novembro 2006

O ADEUS A JACK PALANCE

Jack Palance, 18 de Fevereiro 1919 - 10 de Novembro de 2006

Habituámo-nos a vê-lo como vilão em tantos filmes, foi um dos grandes secundários de Hollywood.
Jack Palance começou como boxeur profissional, chegou mesmo a vencer 15 combates consecutivos. Em 1940 termina com a sua carreira de pugilista ao entrar para o exécito. Durante a Segunda Guerra Mundial é ferido em combate e termina o conflito com várias condecorações. Com o fim da guerra começa a sua carreira como actor. Foi nomeado três vezes pela Academia: SUDDEN FEAR (David Miller, 1952), SHANE (George Stevens,1953) onde interpreta um dos grandes vilões de sempre e finalmente CITY SLICKERS: A VIDA, O AMOR E AS VACAS (Ron Underwood 1991) uma comédia que lhe rendeu o seu primeiro e único Oscar. Morreu no dia 10 de Novembro de 2006, tinha 87 anos..

09 novembro 2006

O PERFUME - HISTÓRIA DE UM ASSASSINO


O PERFUME - HISTÓRIA DE UM ASSASSINO

Deixei este filme para hoje, porque é realmente O MELHOR FILME DA SEMANA.O filme é uma magnífica adaptação do "best-seller" mundial de Patrick Süskind; "O Perfume". Tom Tykwer, o mesmo de CORRE LOLA CORRE, regressa agora com a história de Jean-Baptiste Grenouille (BEN WHISHAW) que nasce em 1738, no Mercado de Peixe de Paris e revela logo uma extraordinária apetência para os aromas. Na adolescência, e após conseguir sobreviver às criminosas condições de trabalho de uma tinturaria local, Grenouille inicia-se como aprendiz na perfumaria de Baldini (DUSTIN HOFFMAN).Rapidamente ultrapassa o mestre na arte de misturar essências, e estas tornam-se a sua obsessão - uma obsessão que o leva a afastar-se da companhia de outros seres humanos.Dominado pela ideia de preservar os aromas humanos, ele assassina, sem escrúpulos, jovens mulheres cujo cheiro peculiar chama a sua atenção.O drama adensa-se quando Grenouille se depara com a bela Laura (RACHEL HURD-WOOD), a qual se lhe apresenta como possuindo uma espécie de essência sobrenatural.Outros assassinatos inexplicáveis se sucedem e o pai de Laura, o nobre Richis (ALAN RICKMAN), suspeita que a vida da sua filha está também em grande perigo.Um verdadeiro jogo de gato e rato entre o amor fraternal e a paixão mortal começa...Um filme fascinante que conta com um dos grandes veteranos de Hollywwod, dustin Hoffman e com a bela RACHEL HURD-WOOD.

Realização: Tom Tykwer
Intérpretes: Ben Whishaw, Dustin Hoffman, Rachel Hurd-Wood, Alan Rickman
Alemanha/França/Espanha, 2006
Estreia: 9 de Novembro de 2006

08 novembro 2006

THE DEPARTED - ENTRE INIMIGOS

THE DEPARTED - ENTRE INIMIGOS

O homem está de volta, não será com este filme que vai finalmente ganhar o merecido Oscar, já foram seis nomeações sem estatueta. Embora seja mais um grande thriller do mestre Scorcese, não me parece que seja o tipo de filme "oscarizável" pela Academia.
THE DEPARTED é o muito aguardado novo filme do realizador e o terceiro com Leonardo DiCaprio, o seu novo actor fetiche. Além de Leo, temos dois grandes veteranos do cinema americano, Martin Sheen e o fabuloso Jack Nicholson.

A acção de “The Departed: Entre Inimigos” ocorre em South Boston, onde a polícia federal trava uma guerra contra o crime organizado.
O jovem polícia Billy Costigan (DiCaprio) é infiltrado no bando de Costello (Nicholson), um chefe da Máfia local.
Enquanto Billy ganha a confiança de Costello, Colin Sullivan (Damon), infiltrado na polícia como informador de Costello, ascende a uma posição de poder na Unidade Especial de Investigação.
Cada um dos homens embrenha-se profundamente na sua vida dupla, recolhendo informações sobre os planos e operações de cada um dos lados.
Mas, quando se torna claro, quer para os polícias quer para os gangsters , que existe uma toupeira entre eles, Billy e Collin passam a estar subitamente em perigo de serem descobertos e casa um inicia uma corrida para desvendar a identidade do outro a tempo de se salvarem.

Realização: Martin Scorsese
Intérpretes: Leonardo DiCaprio; Jack Nicholson; Matt Damon; Mark Wahlberg; Martin Sheen; Ray Winstone; Vera Farmiga; Kevin Corrigan
EUA, 2006
Estreia: 9 de novembro de 2006

UMA VOZ NA NOITE E IRRESISTÍVEL


Baseado no controverso best-seller “The Night Listener” de Armistead Maupin, “Uma Voz na Noite” é um thriller psicológico de suspense sobre Gabriel Noone (Robin Wiliams), um escritor e popular apresentador de um programa nocturno de rádio que inicia uma amizade por telefone com um dos seus maiores fãs, um rapaz precoce e perturbado.
Quando começam a surgir questões inquietantes sobre a identidade do rapaz, a vida de Gabriel que até então era sossegada, dá uma reviravolta ao iniciar uma jornada assustadora em busca da verdade.
Inspirado em factos reais!
Realização: Patrick Stettner
Intérpretes: Robin Wiliams, Toni Collette, Joe Morton, Bobby Cannavale, Rory Culkin, Sandra Oh
EUA, 2006
IRRESISTÍVEL
Esta semana temos mais um leque de boas estreias, uma delas é este IRRESISTÍVEL thriller que conta com um trio de luxo: Susan Sarandon, Sam Neill e Emily Blunt.
Sophie Hartley (Susan Sarandon) está convencida que é vítima de perseguição.
Ela está segura que a bela colega de trabalho do seu marido (Sam Neill), Mara (Emily Blunt), quer as suas crianças, o seu marido e a sua vida. Mas ninguém acredita em Sophie.
Forçada a provar a sua sanidade, Sophie começa a ficar cada vez mais paranóica – estará ela a imaginar coisas?
Sophie começa a ficar completamente apanhada na sua obsessão, passando a ser ela a perseguidora – e faz uma descoberta ainda maior e mais chocante do que o seu maior receio.
A qualidade a que o cinema australiano já nos habituou.

Realização: Anne Turner
Intérpretes: Susan Sarandon, Sam Neill, Emily Blunt
Austrália, 2006

Estreias: 9 de Novembro de 2006

REBELDES DA BOLA



Mais uma vez, volto a criticar a escolha de um título, penso que OS REBELDES DA BOLA é um título infeliz, se fosse eu a escolher teria optado por "Clube dos Rebeldes" por exemplo. Por outro lado, penso que a dobragem em português, se bem que seja boa para as crianças, penso que também afasta os espectadores deste tipo de filmes.
OS REBELDES DA BOLA é o segundo título de uma série de filmes, que na Alemanha já vai no quarto e em portugal nem sequer estreou o primeiro, pelo menos que eu me lembre. É um pouco díficil de compreender as escolhas das distribuidoras.
O Clube dos Rebeldes é mais que uma equipa de futebol de bairro, é um grupo de amigos que vive ao limite e joga futebol sem complexos.
Espera-os um torneio de futebol de arromba – e quem o ganhar poderá medir forças com a selecção nacional!
Com uma forte equipa, os rapazes e a Vanessa vão-se qualificando sem surpresas. Mas, com mil diabos: Vanessa apaixona-se e logo pelo Gonzo, líder do gang Skater de Staraja Riba, a Bruxa, e abandona a sua equipa!
Há que trazê-la de volta – mas como é que se luta por uma rapariga? Será que o Clube dos Rebeldes se safa nessa tarefa? E como vai ser com o jogo contra a selecção nacional?!
É difícil as coisas piorarem... mas o Clube dos Rebeldes atira-se de cabeça à batalha. Estão prontos para tudo porque: "Tudo está bem… porque somos Rebeldes!! RRRAAAAAAAAAHHHHH!!!"
OS REBELDES DA BOLA é a adaptação da colecção de livros que já vendeu mais de um milhão de exemplares em todo o mundo.
Realização:Joachim Masannek
Intérpretes: Jimi Ochsenknecht, Sarah Kim Gries e Raban Bieling.
Vozes V.P. - João Teixeira, Afonso Maló, Francisco Leal, Guilherme Campelo, João Dória, André Raimundo, Luís Simões, Mafalda de Castro, Diogo Martins, Pedro Veríssimo, João Cáry, Tiago Retré, Margarida Campelo, José Alves, Paulo Espirito Santo, Rui Luís Brás, Paulo Duarte Ribeiro
Alemanha, 2005
Estreia: 9 de Novembro de 2006

06 novembro 2006

CINAMNIMA 2006


O Festival de Cinema de animação de Espinho arranca hoje. E para abrir a 30ª edição do festival foi escolhido um filme histórico JOÃO SETE SETE, a primeira longa metragem de animação portuguesa.
De 6 a 12 de Novembro vão passar mais de 600 filmes de animação entre curtas médias e longas metragens, vindas de vários países, como portugal, Brail Bélgica, irão e muitos outros.

Em competição vão estar 115 obras que vão concorrer para distinções como o prémio Internacional, o prémio António Gaio (criado no ano passado em homenagem ao director do festival) ou o prémio Jovem Cineasta Português.
Este ano, há quatro longas-metragens em competição: WOOD AND STOCK: SEXO OREGÃOS E ROCK do brasileiro Otto Guerra, THE CHRISTIES, do britânico Phill Mulloy, FIMFARUM, dos checos Jan Balej, Aurel Klimt, Vlasta Pospisilova e Bretislav Pojar e DOBRINYA E O DRAGÃO, de Ilya Maksimov da Rússia.

Mas o CINANIMA não é só cinema também há workshops: Animação de volumes por Marie Legendre; Criação de Cine-Marionetas por Cristina Teixeira e Ilustração, coordenado por João Fazenda. A Orquestra Clássica de Espinho vai ajudar a cruzar a música com a animação em mais uma comemoração dos 250 anos de nascimento de Mozart e os intervalos das sessões vão apresentar espectáculos de bailado e performances.
Agora uma critica; não sei se é do meu computador mas no site oficial do Festival nenhum dos links abre, só o dos cartazes de onde tirei a imagem acima.JOÃO SETE SETE

Para aquela que se anúncia a 1ª longa metragem de animação portuguesa não ter um site em português é um mau sinal. O filme foi produzido pelo Cine-clube de Avanca com as participações da IbisaTV da TV Galiza do ICAM da Xunta de Galicia e finalmente da RTP. A produção do filme foi muito atribulada com a Ibisa Tv a retirar o seu apoio a meio da produção. Apesar das dificuldades o filme está aí.

A História decorre no Reino de Barbeca que é governado por um maquiavélico e avaro monarca. Um rei que proíbe tudo, especialmente as bricadeiras das crianças. João é um menino que vive junto ao Bosque proíbido de Azemeis com a sua mãe que borda pássaros. Um dia aventura-se a passear pelo bosque e conhece uma bela menina que o inicia nos segredos das arvores, das pedras e da natureza. João está encantado com a sua nova amiga mas não sabe que ela é a filha do terrível rei de Barbeca que pretende destruir o bosque para construir uma torre enorme para chegar até ao tecto do mundo. Agora João e a Princesa Menina são a última esperânça de salvação dos habitantes da floresta.

05 novembro 2006

O ILUSIONISTA

Nada é o que parece.
O ILUSIONISTA
Num mundo onde nada é o que parece ser, um ilusionista e um inspector de polícia enfrentam-se, num desafio de vontades, tentando determinar onde acaba a realidade e começa a magia… ao mesmo tempo que esbatem a ténue linha que separa o poder e a corrupção, o amor e a devoção, a vigilância e a obsessão e, finalmente, a vida e a morte.
Dois actores nomeados para um Óscar, Edward Norton e Paul Giamatti, são os protagonistas do filme.
Norton representa Eisenheim, um misterioso mágico que quebra as leis da natureza em frente a uma perplexa audiência. Giamatti é o perspicaz Inspector-Chefe da polícia de Viena, um homem dedicado a implementar a lei e para quem a magia não tem lugar no seu mundo organizado.
Jessica Biel partilha o cartaz, como a bela e enigmática Sophie von Teschen, cujo futuro se vê inexoravelmente alterado a partir do momento em que conhece Eisenheim e este se aproxima perigosamente da descoberta de um obscuro segredo da monarquia que ela esconde.

Realização: Neil Burger
Com: Edward Norton, Paul Giamatti, Jessica Biel, Rufus Sewell
República Checa/EUA, 2006
Estreia: 2 de Novembro 2006

04 novembro 2006

DANS PARIS, JE T'AIME

PARIS JE T'AIME
Já aqui falei deste filme por alturas da antestreia no FESTIVAL DE CINEMA FRANCÊS

O conceito é interessante; 20 realizadores, 20 pequenas histórias sobre 20 bairros da capital francesa.
Paris vista pelos olhos de alguns dos mais aclamados cineastas do mundo, incluindo os Irmãos Coen, Gus Van Sant, Isabel Coixet, Walter Salles, Alexander Payne e Sylvain Chomet.
Cada realizador foi convidado a contar uma história ambientada em um dos bairros da cidade. O resultado é um caleidoscópio de histórias sobre alegria, separação, inesperados estranhos encontros e sobretudo, sobre amor.
Um filme com um incrível elenco internacional, incluindo Natalie Portman, Fanny Ardant, Elijah Wood, Nick Nolte, Juliette Binoche e Steve Buscemi, "Paris, Je T’Aime" mostra-lhe Paris como nunca antes viu, e irá reacender o seu amor pela cidade mais romântica do mundo.

Realização: Oliver Assayas, Gérard Depardieu, Gurinder Chadha, Joel & Ethan Coen, Wes Craven, Alfonso Cuaron, Walter Salles, Gus Van Sant, entre outros.

Actores: Marianne Faithfull, Steve Buscemi, Catalina Sandino Moreno, Barbet Schroeder, Juliette Binoche, Willem Dafoe, Nick Nolte, Maggie Gyllenhaal, Bob Hoskins, Natalie Portman, entre outros
França, 2006
Estreia: 2 de Novembro

DANS PARIS - EM PARIS

No novo filme de Christophe Honoré, podemos seguir as aventuras sentimentais de dois irmãos - Jonathan (Louis Garrel), um conquistador, e Paul(Roman Duris), deprimido depois da ruptura de um amor violento.
Realização: Christophe Honoré
Com: Romain Duris, Louis Garrel, Guy Marchand, Joana Preiss, Alice Butaud
França, 2006
Estreia: 2 de Novembro

MANUAL DE AMOR

MANUAL DE AMOR

“Manual de Amor” relata situações pelas quais passam os casais ao longo das suas vidas. É uma história de amor, vista através de um caleidoscópio de cores, que descreve as quatro fases do amor: «a paixão», «a crise», «a traição» e «o abandono».
Assim, as fases de “Manual de Amor” estão narradas em quatro episódios protagonizados por quatro casais diferentes. Trata-se de histórias normais e extraordinárias, doces, irónicas, românticas e divertidas. Coloridas como um caleidoscópio, emocionantes como o próprio amor.
Tommaso (Silvio Muccino) e Giulia (Jasmine Trinca) vivem o processo de apaixonar-se: primeiro encontro, primeiro beijo, sexo fantástico, convivência e casamento.
Barbara (Margherita Buy) e Marco (Sergio Rubini) atravessam a primeira crise de uma longa relação: ter um filho ajudá-los-ia a superá-la?
Ornella (Luciana Littizzetto) está destroçada por uma trágica traição que quer superar com uma força e energia excepcionais, enquanto se dedica à sua luta contra o seu inimigo genérico: o homem.
Goffredo (Carlo Verdone) tenta aceitar o abandono. É a primeira grande tragédia da sua vida, e está tão pouco preparado para superá-la que decide procurar ajuda num áudio-livro com o promissor nome de «Manuale d’Amore», que contém conselhos para pessoas com o coração destroçado.

Realização: Giovanni Veronesi
Actores: Carlo Verdone, Silvio Muccino, Luciana Littizzetto, Sergio Rubini, Margherita Buy, Jasmine Trinca
Itália, 2005
ESTREADO A 2 DE NOVEMBRO

02 novembro 2006

CENTENÁRIO DE VISCONTI

VISCONTI DURANTE AS FILMAGENS DE "O LEOPARDO"

Luchino Visconti di Morone nasceu em 2 de Novembro de 1906 em Milão, «quando a cortina subiu no Scala», como ele próprio dizia. Filho de Giuseppe Visconti, duque de Modrone, e de Carla Erba, herdeira de uma ffortuna feita na indústria química, sendo um dos sete filhos do casamento, que durou até 1924, tendo tido uma infância bastante privilegiada.
Durante sua juventude contactou com importantes intelectuais e artistas, como o maestro Toscanini, o compositor Puccini e o escritor D'Annunzio. Como é natural, interressou-se desde cedo pela música e pelo teatro, mas também pelos cavalos, que se tornaram uma paixão. Tendo feito o seu serviço militar em 1926 na arma de cavalaria, passou a criar cavalos puro-sangue destinados às corridas de cavalos, logo que foi desmobilizado, de 1928 a 1936, não pensando em muito mais do que isso. Quando este interesse começou a esmorecer, e depois de ter realizado uma viagem à Alemanha, foi viver para Paris tornando-se amigo de Coco Chanel. A costureira apresentou-o ao realizador Jean Renoir com quem trabalhou brevemente no filme Une Partie de campagne, realizado em 1936, experiência que fez com que se interessasse seriamente pelo cinema. Nesta época, em que a Frente Popular governou em França, Visconti, que tinha sido um apoiante do fascismo, aderiu ao comunismo.
Em 1937, Visconti passou por Hollywood antes de regressar a Roma. Já Itália participou no filme de Renoir La Tosca, que terminou com o auxilio do assistente do realizador francês, devido ao regresso deste a França com o começo da Segunda Guerra Mundial. A partir de 1940 ligou-se ao grupo do jornal Cinema. Para financiar o seu primeiro filme vendeu algumas jóias da família. Ossessione de 1942, uma adaptação não autorizada do livro de James M. Cain O carteiro toca sempre duas vezes, teve dificuldades com a censura fascista, mas o resultado foi um enorme sucesso em Itála. No fim da Segunda Guerra Mundial Visconti permitiu que seu palácio fosse utilizado como centro de comando secreto por membros da resistência comunista, e participou em acções armadas contra os ocupantes alemães. Estas actividades fizeram com que fosse preso pela Gestapo em 1944, durante um curto período de tempo. Vingou-se do tempo passado na prisão quando filmou a execução do chefe da policia política italiana Pietro Caruso, para o documentário realizado em 1945 - Giorni di gloria.
O partido comunista italiano encarregou-o de produzir uma série de três filmes sobre pescadores, mineiros, e camponeses da Sicília, mas só o La Terra Trema - Episodio del mare foi realizado, em 1948. Este filme, juntamente com Rocco e i suoi fratelli, de 1960, que documentam as dificuldades das classes trabalhadoras, foram censorados pelos sucessivos governos de direita que dirigiram a Itália no pós-guerra. Mas, a partir dos anos sessenta, os filmes de Visconti tornaram-se mais pessoais. Talvez os seus trabalhos mais importantes sejam Il Gattopardo [O Leopardo], de 1963, e a Morte a Venezia [Morte em Veneza], de 1971. A adaptação exuberante do romance de Giuseppe di Lampedusa, saído em 1958, que retrata o declínio da aristocracia siciliana durante o Risorgimento, era um assunto que lhe estava próximo devido à história da sua família.
Não sendo o mais fácil dos diretores (a actriz Clara Calamai afirmou que era «um senhor medieval com chicote»), Visconti granjeou mesmo assim o respeito dos seus actores. Apesar de ser conhecida a maneira como tratou Burt Lancaster durante a rodagem do Leopardo, este actor afirmou que Visconti era «o melhor director com quem trabalhei até agora ... um sonho para um actor".
Luchino Visconti encenou diversas peças de teatro, incluindo obras de Jean Cocteau e Tennessee Williams. Era tão famoso como director de ópera como o era como realizador de cinema, sendo reconhecido o seu trabalho com Maria Callas, que afirmou que fora Visconti que a ensinara a representar.
Abertamente bisexual, como o seu pai, os filmes de Visconti têm poucas personagens explicitamente homosexuais, embora haja frequentemente nos seus filmes um erotismo encapotado de teor homosexual. Favoreceu sempre actores principais atraentes, tais como Alain Delon, e a sua obsessão no fim da vida foi pelo actor austríaco Helmut Berger que dirigiu no filme La caduta degli dei [A queda dos deuses] (1969), Ludwig (1972) e Grupo di famiglia in un interno (1974).
O seu hábito de fumar (até 120 cigarros por dia) provocou-lhe um ataque de coração, que lhe debilitou bastante a saúde, mas recuperou o suficiente para fazer L'Innocente antes de morrer em Roma em 1976. O funeral de Luchino Visconti teve a presença do presidente italiano Giovanni Leone e do actor Burt Lancaster. Houve quem ridicularizasse o estilo de vida de Visconti - opulento é o mínimo que se pode dizer -, já que era reconhecidamente marxista. Salvador Dali afirmou sarcásticamente que o realizador «era um comunista que só gostava do luxo». Visconti explicou a um repórter americano em 1961, que «eu acredito na vida, isso é o essencial ... e acredito numa sociedade organizada. E penso que tem hipóteses».
Biografia tirada de: O Portal Da História

O ABC Cine-Clube de Lisboa, em parceria com A Voz do Operário, vai promover um ciclo dedicado ao realizador italiano. O Ciclo começa hoje e dura até 30 de Novembro, as sessões vão ter lugar no Auditório João Hogan, em Lisboa:

MORTE EM VENEZA, 1971. Dia 2 Nov: 18h30
VIOLÊNCIA E PAIXÃO, 1974. Dia 4 Nov: 17h
SENTIMENTO, 1954. Dia 9 Nov: 18h30
A TERRA TREME, 1948. Dia 11 Nov:17h
BELÍSSIMA, 1951. Dia 16 Nov: 18h30
OBSESSÃO, 1943.18 Nov: 15h
O LEOPARDO, 1963. Data a confirmar.
OS DEUSES MALDITOS, 1968. 23 Nov: 18h30
ROCCO E OS SEUS IRMÃOS, 1960. 25 Nov: 17h
O INTRUSO, 1976. 30 Nov: 18h30.

ATENÇÃO: AS ENTRADAS SÃO À PÁLA!
Mais informações: ABC-CINECLUBE