23 maio 2008

A DESCONHECIDA


A DESCONHECIDA

Uma caótica cidade italiana dos nossos tempos. “A Desconhecida” é Irena.
Ela foi para Itália há muitos anos, vinda da Ucrânia, e hoje vive rodeada por fantasmas do passado e pela procura do presente: dois planos de tempo que interagem, sobrepõem-se e constituem um intrigante quebra-cabeças, uma narrativa de tensão.
Quem é realmente Irena?
Aos poucos e poucos a história vai-se revelando.

A rapariga fugiu da Europa de Leste, como tantas mulheres na altura. Depois de ter sobrevivido uma viagem dramática e cruel, ela revela-se uma presa fácil para homens rudes e sem escrúpulos. Ela foi sujeitada a brutalidades inexplicáveis e humilhações, o tipo que permanentemente ficam na memória e que nunca se esquecem. Apenas uma memória bonita resta a Irena: um melancólico e piedoso amor perdido.

Hoje Irena aparece-nos como uma figura triste e misteriosa, porém uma mulher que ainda exerce um apelo fascinante. No fundo, apesar dos eventos trágicos, o seu carácter permaneceu intacto.
Por baixo de um ar aparentemente submisso, o seu orgulho natural e poder rebelde e feroz mantém-se inalterado. Irena parece ter um motivo muito preciso quando pede a ajuda ao porteiro de um bloco de apartamentos para encontrar trabalho ali como senhora de limpezas.
Embora o trabalho de Irena seja limpar e encerar as escadas daquele prédio, o seu verdadeiro objectivo é aproximar-se de uma família que lá vive: os Adachers, que têm um negócio de ourivesarias.
Nada impedirá Irena de arranjar um emprego na ourivesaria. Nem assassínio.
A esta altura, o plano da “desconhecida” tornou-se realidade com a sua inexorável e progressiva infiltração no seio da família. Irena não só tem sucesso em ganhar a confiança da família, como também a ter um certo poder sobre a pequena filha do casal, Tea. A filha dos Adacher torna-se cada vez mais agarrada a Irena. A sua união é solidificada quando a menina cai numa depressão por causa da separação dos pais.

Mesmo assim, este delicado equilíbrio alcançado por Irena, enquanto ela executa o seu plano, tem uma vida curta. Não só ela é atormentada cada vez mais por visões e pesadelos, como também uma figura do seu passado a encontra na sua nova cidade.
Com o seu reaparecimento ela torna-se vítima de novos horrores, novas brutalidades, novas tragédias.

Na sua sombra ameaçadora, o segredo da cega obstinação de Irena para fazer parte daquela família é revelado. Como um denso nevoeiro que finalmente se dissipa, uma sucessão de verdades reais e supostas emerge, criando novas revelações, associações e outras realidades.
Esta reviravolta acelera para um clima tão absorvente e profundo como a própria figura da “desconhecida”.

Realização: Giuseppe Tornatore
Com: Xenia Rappoport, Michele Plácido, Claudia Gerini, Pierfrancesco Favino, Margherita Buy, Alessandro Haber, Piera Degli Esposti
Itália/França, 2007
118 min
Data de estreia: 22 de Maio de 2008

2 comentários:

Mandillo disse...

Já tinha marcado, na minha agenda,; a ñ perder.... Deve ser um excelente filme,mas agradecida pela achega.

CatarinaGarcia disse...

gostei muito deste filme.