21 outubro 2006

DOCLISBOA 2006, OXALÁ CRESÇAM PITANGAS

Portimão, 1957. Fotografia de Gérard Castello-Lopes

De 20 a 29 de Outubro a CDulturgeste vai receber o melhor cinema documental que se faz por este mundo. O Festival abriu ontem com a exibição do filme NEWS FROM HOME/ NEWS FROM HOUSE do israelita Amos Gitai.
O certame prossegue hoje com vários filmes dos quais destaco:

OXALÁ CRESÇAM PITANGAS
Nasci na cidade de Luanda, por isso este filme toca-me, principalmente porque não tenho muitas recordações daquela cidade.
Angola, 30 anos de Independência, três anos de paz. Capital, Luanda. Cidade construída para 600.000 habitantes. Actualmente com quatro milhões. Cruzamento de várias realidades e gente de todas as províncias. Elo de ligação com o resto do mundo. A vida desta cidade são as pessoas. Que pessoas?
10 vozes vão expondo com ritmo, dignidade e coerência, um espaço ocupado por várias gerações e dinâmicas sociais complexas. Luanda ainda não havia sido filmada sob esta perspectiva realista e humana: conflitos entre a população e a esfera política, a proliferação do sector informal, as desilusões e as aspirações, o questionamento do espaço urbano e do futuro de uma Angola em acelerado crescimento.10 personagens falam também das suas vidas, do seu modo de agir sobre a realidade, da música que não pode parar. Aparece uma Luanda onde a imaginação e a felicidade defrontam as manobras de sobrevivência. Onde a Língua é mexida para se adaptar às necessidades criativas de tantas pessoas e tantas linguagens.Este é um filme sobre uma Luanda que recria constantemente a sua identidade: os dias, as noites e todos os ritmos da cidade que não sabe adormecer.Luanda mistura fenómenos urbanos e rurais. O sector informal, sendo a grande alternativa, agita o país e dinamiza as relações. Os jovens colocam diariamente a imaginação ao serviço da sobrevivência e da felicidade, inventando formas de viver e sobreviver – por necessidade e pelo gosto de se sentirem vivos.
Um filme realizado por Kiluanje Liberdade e pelo escritor Ondjaki.
Portugal 2006

1 comentário:

Ricardo Riso disse...

Oi! procurando informações sobre o este filme, achei o teu blog. Legal o texto, verei o filme no próximo sábado no Festival do Rio de cinema. Abraço.